Translator

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Navio com combustível encalha na Baía de Vitória.


Um navio que fazia transporte de combustível para
abastecer embarcações atracadas no Porto de Vitória
passou cinco horas encalhado, ontem, à direita do canal
de acesso ao Porto de Vitória, nas proximidades da Terceira
Ponte. De acordo com a Capitania dos Portos do Espírito Santo,
o incidente aconteceu após a embarcação ter se desviado de um
pequeno barco de pesca.
“Pelo que averiguamos, o comandante teria desviado o navio do
barco para evitar um acidente, e, com isso, acabou saindo do
canal”, informou o Comandante da Capitania dos Portos do Espírito
Santo, Márcio Fonseca.
O navio em questão é o SM Apollo, que realiza o transporte de
combustível no litoral para os portos de Vitória, Tubarão e Capuaba.
Ele estava carregado com óleo pesado destinado à navegação marítima.
A Codesa chegou a enviar duas embarcações rebocadoras, mas, por
volta de 15h30, com a maré cheia, o navio desencalhou.
O incidente provocou a paralisação das atividades no porto entre
10h – horário em que ocorreu o incidente – e 15h30 de ontem e impediu
a atracagem de um navio que seria carregado de granito, às 11h.
A Capitania dos Portos informou que no local é permitida a circulação
de barcos de pesca, mas eles precisam cumprir as determinações do
Regulamento da Navegação.
Punição
O órgão abriu inquérito sobre Acidentes e Fatos da Navegação (IAFN)
para apurar o ocorrido e saber dos possíveis responsáveis. O prazo
para conclusão é de 90 dias. Nele será, de fato, confirmado se houve
erro humano ou mecânico. Se for identificado como responsável, o
comandante da embarcação poderá, até mesmo, perder sua licença.
Mais de 150 navios por mês passam por canal
Por mês, passam pelo canal de Vitória entre 150 e 200 embarcações
de diferentes tamanhos. Esse total representa uma média diária que
varia entre cinco a sete embarcações. Somando, ao todo, 10 a 14
viagens são feitas pelos práticos – responsáveis por fazer o
transporte dos navios pelo canal. Em Vitória, o canal é estreito,
sinuoso e limitado por pedras, o que torna o grau de dificuldade
da manobra elevado e ser considerado um dos mais difíceis do mundo.

Fonte: A Gazeta Viitória (ES)
Postar um comentário