Translator

quinta-feira, 17 de março de 2011

Quinta-Feira



Foi numa Quinta-Feira qualquer que tudo então mudou.

O céu se abriu como nunca e um desfile começou

Momento só ofuscado por uma presença repentina

E a certeza da sorte batendo a sua porta novamente

Impulsos só contidos pela razão que raramente ouço

Medos amplificados causados pela percepção da realidade

E numa Quinta-Feira qualquer a sensação de que tudo valia à pena



Intensidade resultada da ansiedade de viver cada minuto como se fosse o último

Onde muitas vezes momentos tão reais não passam de devaneios

Saber que mesmo com o peso que tem, palavras são levadas ao vento

E numa Quinta-Feira qualquer me dei conta de coisas tão óbvias

Que duas pessoas podem estar focando o mesmo e vendo coisas diferentes

Que nem todos sentem ou entendem as coisas da mesma maneira

E numa Quinta-Feira qualquer novamente de maneira repentina a presença virou ausência



Rafael Ferreira Viva



Foto: CSAV Suape, Quinta-Feira 22/07/2010
Postar um comentário